segunda-feira, 9 de agosto de 2010

. . . . . . .

Postado por Ana Sousa às 08:44
Reações: 
0 comentários


Mais um dia, mais uma vez. Parei pra olhar aqui no arquivo, e percebi em rascunhos que isso já faz muito tempo, e o pior seria deixar passar. Agora, o meu coração bate igual ao tic tac do relógio da tua casa, que tanto me atormentou misturado com um silêncio de uma noite de sexta feira, aquela em que não falar nada, parecia dizer tudo,onde o sufoco de dentro de mim era o que prevalecia.E por mais que eu não me permitisse, eu conseguia te ver tudo isso.

Tentar falar nesse momento ou em qualquer outro do mesmo nivel seria crucial, pois a essa altura o ouvido já não consegue decifrar a mensagem. A resposta que me dá é pela razão, algo prolixo misturado com um ar de admiração, que não quer chegar no fim.

Existem pensamentos idiotas que ficam dando duas opções de agir, estes são desprezíveis e pior ainda, pois a causa era, é interna.

Eu te culpo, que tolice a minha, quando na verdade criei em ti um outro eu pra me dizer que isso tudo vai ficar bem, e que me fez perceber hoje, que essa armadura criada é inutil, pois o ataque não vem de ti, mas de dentro de mim!

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava a sua vida..

Postado por Ana Sousa às 08:41
Reações: 
0 comentários

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:

"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
- Ainda bem que esse infeliz morreu !

Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.

A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?

No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".

(Luís Fernando Veríssimo)
 

✩ ‏ Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review